04 de Fevereiro, 2016

Sabesp não aumenta vazão em Guarulhos

O SAAE tem de manter o rodízio por conta da pouca vazão de água oferecida pela companhia estadual. 

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Guarulhos informa que, apesar dos vários ofícios encaminhados à Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), Guarulhos continua sendo penalizado, considerando os demais municípios da região metropolitana de São Paulo (RMSP), no que se refere ao volume de água fornecido para abastecimento. “Se é necessária a restrição, que seja para todos de forma igualitária”, diz o diretor do Departamento de Manutenção e Operação do Saae de Guarulhos, engenheiro Marco Aurélio Cardoso Carvalho.

A companhia estadual produz em média 55 metros cúbicos por segundo de água para distribuir a uma população da RMSP de cerca de 22 milhões de habitantes (a cidade de Guarulhos está considerada nesta população), o que representa aproximadamente 272 litros por habitante/dia, e Guarulhos recebe somente 169 litros por habitante/dia. Na segunda-feira, dia 1º/02, o Saae de Guarulhos recebeu um ofício da Sabesp, que informa que “vai estudar a possibilidade de aumentar a vazão”.

Mesmo a companhia estadual captando mais água nos sistemas Alto Tietê e Cantareira, a vazão de água foi reduzida para Guarulhos, apesar de os níveis dos reservatórios terem aumentado com as chuvas recentes (conforme boletins diários da Sabesp) e de a Agência Nacional de Águas (ANA) e o Departamento de Águas e Energia Elétrica de São Paulo (DAEE) terem autorizado a Sabesp a elevar as vazões médias máximas de retirada do Sistema Cantareira para a região metropolitana de São Paulo – conforme Comunicado Conjunto ANA-DAEE nº 252, divulgado em 15 de janeiro/2016 (veja aqui). 

As vazões de água diárias fornecidas ao município oscilam. Na segunda-feira, dia 1º/02, considerando os sistemas Alto Tietê e Cantareira, foi de 2,56 metros cúbicos por segundo. O Saae solicita o fornecimento de 3,34 metros cúbicos por segundo (média produzida de água pela companhia estadual), o que é proporcional, considerando a população, aos demais municípios da RMSP.

Tendo em vista esse cenário, o Saae de Guarulhos é obrigado a manter o rodízio de água implantado em toda cidade em março de 2014, quando a Sabesp reduziu a oferta de água ao município advinda do Sistema Cantareira. Vale lembrar que, com o agravamento da crise hídrica, o rodízio, de um período com água para um período sem água, chegou a ser prejudicado em alguns bairros.

Fonte: SAAE Guarulhos

Última modificação em Quarta, 16 Março 2016 16:36
Mais nesta categoria:
ASSEMAE © 2020 | Todos os direitos reservados Desenvolvido por Trídia Criação