03 de Abril, 2017

Diagnóstico dos serviços de água e esgoto

O Ministério das Cidades confirma que o setor de abastecimento possui grande potencial para ações de eficiência energética e de redução de perdas de água.

O Ministério das Cidades, através da Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental (SNSA), acaba de divulgar o Diagnóstico dos Serviços de Água e Esgotos com base nos dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), referente ao ano de 2015. Essa é a vigésima primeira edição do Diagnóstico e, em seu capítulo nono, traz informações sobre o Consumo de Energia Elétrica nos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário.

Destaca-se, no Diagnóstico dos Serviços de Água e Esgotos, o valor do consumo total com energia elétrica dos prestadores de serviços de água e esgoto de 12,2TWh/ano. Do total, o abastecimento de água foi responsável por 11,0TWh, com gastos na ordem de R$ 5,14 bilhões/ano. Os restantes 1,2 TW/h foram utilizados para esgotamento sanitário. Diagnóstico do SNIS para 2015 disponível aqui

Os indicadores do SNIS demonstram que o setor de abastecimento tem um grande potencial de economia. "A promoção de ações que visam à eficiência energética e ao controle de perdas de água influencia diretamente no consumo de energia elétrica e é muito bem vinda", comentou o Diretor do Departamento de Planejamento e Regulação da SNSA, Ernani Ciríaco de Miranda.

Algumas iniciativas já estão em andamento pelo governo, executadas pela Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental e parceiros, como o Programa de Desenvolvimento do Setor de Água - INTERÁGUAS em parceira com o Banco Mundial e o Projeto de Eficiência Energética em Sistemas de Abastecimento de Água (ProEESA) uma parceria com o Ministério Federal da Cooperação Econômica e do Desenvolvimento (BMZ) da Alemanha, sendo executada pela Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável - Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ).

O ProEESA tem apoiado o Ministério das Cidades em Seminários Nacionais e na elaboração de regulamentações a respeito, mais concretamente em termos de referência para elaboração de planos municipais de saneamento básico, normas da ABNT, manuais de tarifação de energia elétrica, entre outros trabalhos em curso. Um exemplo prometedor na área de capacitação é o projeto Redes de Aprendizagem, conduzido pela Agência Reguladora dos Serviços de Saneamento das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (ARES-PCJ), junto dos prestadores de serviço de abastecimento dos municípios de Valinhos, Sumaré, Mogi-Mirim, Vinhedo, Araraquara, Cerquilho, Leme, Piracicaba, Santa Barbara d´Oeste, Indaiatuba, Araras, Atibaia e Louveira que visa consolidar os processos organizacionais destes prestadores, no sentido de uma redução acelerada de perdas de água e energia. Além da ANEEL, as distribuidoras de energia ELEKTRO e a CPFL tem apoiado a realização desta iniciativa nas suas áreas de concessão.

Devido a importância do tema, ele será debatido no IV EMDS (Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável), a ser realizado entre os dias 24 e 28 de abril de 2017 e realizado pela Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), nas instalações internas do Estádio Mané Garrincha, em Brasília/DF.

O Banco Mundial e a Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) estarão coordenando a Sala 15, que versará sobre Eficiência Energética, Energias Renováveis e as Novas Tecnologias.

Fonte: Ministério das Cidades

Última modificação em Segunda, 03 Abril 2017 14:23
Mais nesta categoria:
ASSEMAE © 2019 | Todos os direitos reservados Desenvolvido por Trídia Criação