22 de Março, 2018

Assemae participa de painel no 8º FMA sobre direito ao saneamento

Entidade mostrou a relação entre a garantia de acesso ao saneamento e a sustentabilidade dos serviços. 

Em painel do 8º Fórum Mundial da Água, a Assemae debateu a implementação de estratégias para garantir o direito humano de acesso ao saneamento básico, considerando a sustentabilidade financeira dos serviços públicos.  A agenda ocorreu dia 20 de março, em Brasília, com a participação da diretora de Comunicação da Assemae, Ana Carolina Figur, além de especialistas do Nepal, Arábia e Estocolmo.

Segundo Figur, apesar do acesso à água limpa e segura ter sido declarado, em 2010, como direito fundamental pela Organização das Nações Unidas (ONU), ainda existem desafios locais e globais para que esse acesso seja universalizado. “São quase 35 milhões de pessoas sem água potável no Brasil”, destacou.

A diretora da Assemae também mostrou a necessidade de equilibrar a sustentabilidade financeira dos sistemas com a proteção das populações de baixa renda. “Um dos instrumentos que o Brasil tem a sua disposição é a tarifa social, ou seja, o benefício concedido exclusivamente a imóveis de baixa renda, quando a água for destinada ao uso doméstico e higiênico”, explicou.

O relator especial da ONU sobre água e saneamento, Léo Heller, que moderou a sessão, defendeu que o “custo” para garantir os direitos humanos passa pela mudança de comportamento e de visão. Além disso, ressaltou que a população de baixa renda não deve ter acesso negado à água devido a sua incapacidade de pagar por ela.

Última modificação em Quinta, 22 Março 2018 17:03
Mais nesta categoria:
ASSEMAE © 2019 | Todos os direitos reservados Desenvolvido por Trídia Criação