17 de Novembro, 2015

Seminário debaterá uso de contas ambientais

O evento busca apresentar o uso das contas ambientais voltadas para o setor água no Brasil e no exterior

De 26 a 27 de novembro, no Jardim Botânico do Rio de Janeiro, acontece o Seminário Internacional sobre Contas Econômicas Ambientais da Água. O evento busca apresentar o uso das contas ambientais voltadas para o setor água no Brasil e no exterior. Além disso, o encontro visa discutir e propor subsídios e indicadores para a construção e o monitoramento de políticas públicas e para os futuros Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). Na ocasião, serão discutidos os desafios comuns entre os países participantes e oportunidades de colaboração no tema das contas ambientais da água.

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) realiza o Seminário em parceria com a Agência Nacional de Águas (ANA) e a Comissão Econômica para a América Latina (CEPAL), com apoio do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O evento contará com a participação de aproximadamente 40 especialistas do Brasil, da Austrália, da Colômbia, do México e da Divisão de Estatística das Nações Unidas (DENU) e agências da Organização das Nações Unidas.

A Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente (SRHU/MMA), a ANA e o IBGE ficarão responsáveis pelas mesas do Seminário. Os assuntos previstos são: ODS e as contas ambientais da água, experiências dos países no desenvolvimento e utilização das contas econômicas ambientais da água, experiências internacionais no tema das contas ambientais e indicadores de desenvolvimento sustentável referentes aos recursos hídricos. Acesse aqui a programação do evento.

O Sistema de Contas Econômicas e Ambientais da Água foi desenvolvido pela Divisão de Estatística das Nações Unidas para que os países possam organizar suas informações relativas a água em conformidade com os respectivos Sistemas de Contas Nacionais. Com isso, é possível comparar como anda a relação entre água e economia em diversas nações ao redor do planeta.

Assim, por exemplo, pode-se saber qual é a relação entre Produto Interno Bruto (PIB) e a quantidade de metros cúbicos de água utilizados para produção de tal riqueza. Este tipo de dado auxilia os gestores públicos na definição, no monitoramento e na efetivação de políticas públicas.

Comitê das Contas Econômicas Ambientais da Água

Antes do Seminário, em 24 de novembro, acontecerá no Jardim Botânico do Rio de Janeiro uma reunião do Grupo Executivo do Comitê das Contas Econômicas Ambientais da Água para avaliação das atividades que vêm ocorrendo. Instituído pelo Brasil em 31 de maio de 2012, o Comitê busca elaborar as contas econômicas ambientais da água, segundo a metodologia adotada pelo DENU, considerando as boas práticas internacionais sobre o tema. Desde então, a ANA e a SRHU/MMA vêm trabalhando em parceria com o IBGE para implantarem as Contas Ambientais da Água no Brasil.

Para que o Comitê das Contas Econômicas da Água fosse instituído, o Ministério do Meio Ambiente e o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão levaram em consideração a necessidade de se acompanhar e monitorar as interações entre a economia e os recursos hídricos em virtude da importância da água para o desenvolvimento de atividades econômicas. Além dos dois ministérios, representantes da ANA e do IBGE integram o grupo. Por sua parte a Agência já vem desenvolvendo estudos sobre o panorama dos recursos hídricos do País – o relatório de Conjuntura dos Recursos Hídricos no Brasil – que servirão de insumo para que o Instituto possa fazer a contabilização sobre os impactos econômicos da água.

Fonte: ANA

Última modificação em Terça, 17 Novembro 2015 16:04
Mais nesta categoria:
ASSEMAE © 2019 | Todos os direitos reservados Desenvolvido por Trídia Criação