30 de Agosto, 2018

DAE Jundiaí produz fertilizante orgânico

A partir do esgoto, 20 mil toneladas de fertilizante orgânico serão produzidas por ano em Jundiaí.

Sessenta mil toneladas de resíduos orgânicos tratados por ano, que se transformam em 20 mil toneladas de fertilizante orgânico composto, utilizado em culturas de café e cana-de-açúcar, plantações de uva, caqui e pêssego e plantas ornamentais, como as que ficam em parques e jardins. Esse é o destino do logo de esgoto tratado na Estação de Tratamento de Esgoto do Jardim Novo Horizonte, a ETE Jundiaí (ETEJ).

Utilizando um sistema de compostagem termofílica do lodo – que é enriquecido com sobras da agroindústria alimentícia e da torrefação de café – o material é misturado a cavacos de madeira bruta de eucaliptos e pinus, submetidos ao revolvimento mecânico e oxidados após uma intensa atividade de microorganismos.

Todo o processo ocorre em temperaturas acima de 55ºC por mais de 30 dias. Ao final, o material é higienizado, eliminando organismos causadores de doenças aos homens e animais e dando origem ao composto orgânico de lodo de esgoto. Gesso agrícola, calcário dolomítico e fosfato de rocha são acrescidos, para evitar odores e enriquecer o composto com enxofre, cálcio, magnésio e fósforo. 

O produto final é chamado de fertilizante orgânico composto classe D, registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento sob o nº SP-80610 10000-7, de uso seguro na agricultura. O controle de qualidade do produto é feito mensalmente, por meio de análises físico-químicas e microbiológicas.

Operação

A Estação de Tratamento de Esgoto do Jardim Novo Horizonte é operada pela Companhia Saneamento de Jundiaí (CSJ), por meio de concessão firmada pela Prefeitura Municipal de Jundiaí, atuando como prestadora de serviço para a DAE, empresa responsável pelo saneamento básico do município.

Jundiaí é um modelo bem-sucedido no saneamento público com abastecimento de qualidade e tratamento de 100% do esgoto coletado. São três Estações de Tratamento de Esgoto (Jundiaí, São José e Fernandes) e duas Estações de Tratamento de Água (Anhangabaú e Eloy Chaves).

Com visão estratégica e investimentos antecipados, Jundiaí conta com a Represa de Acumulação com capacidade de armazenamento de 8,3 bilhões de litros de água, protegida pelo Parque da Cidade.

Fonte: DAE Jundiaí

Última modificação em Quinta, 30 Agosto 2018 12:02
Mais nesta categoria:
ASSEMAE © 2019 | Todos os direitos reservados Desenvolvido por Trídia Criação