18 de Setembro, 2018

Semasa amplia projeto em Santo André

Consolidado em três núcleos, a iniciativa é inovadora tem como objetivo trocar recicláveis por alimentos frescos.

O Moeda Verde vai crescer a partir deste mês e, até o final do ano, moradores de mais quatro núcleos da cidade e seus arredores poderão trocar resíduos recicláveis por alimentos. Com a expansão, o programa vai ampliar em 154% a sua abrangência, beneficiando direta e indiretamente 35,6 mil pessoas, ou mais de um terço dos moradores de núcleos e assentamentos precários de Santo André.

As trocas acontecem sempre a cada 15 dias, das 14h às 16h. Nesta terça-feira (18), a equipe do projeto inicia o trabalho no núcleo Eucaliptos (rua Arco Íris com rua do Lago, atrás do Centro Religioso São José Operário). Na segunda quinzena de outubro está prevista a implantação no Morro Vista Alegre (Kibon), às quartas-feiras.

Em novembro, será a vez dos moradores dos núcleos Santa Cristina, Nova Esperança e Favelinha do Amor poderem trocar resíduos por alimentos, às quintas-feiras. A equipe do Moeda Verde também vai atender os núcleos Jardim Cristiane e Gaturama, a partir de dezembro, com trocas às sextas-feiras. Juntas, as quatro novas regiões beneficiadas possuem cerca de 21,6 mil habitantes.

“O Moeda Verde é um sucesso. Ele demostra a importância que nós damos para a questão da sustentabilidade, que é um conceito muitas vezes abstrato para as pessoas, e por isso é muito legal quando conseguimos demonstrá-lo na prática”, afirmou o prefeito Paulo Serra. Segundo ele, o Moeda Verde também foi possível graças a união de outros programas retomados pela atual administração.

“Houve a retomada do Banco de Alimentos, que estava fechado, através do Núcleo de Inovação Social. Já arredamos mais de 550 toneladas de alimentos para 66 entidades, além do Moeda Verde. Também assinamos contratos com as cooperativas de reciclagem, premiando a eficiência e o resultado do seu trabalho”, destacou o prefeito.

Lançado em novembro de 2017, o Moeda Verde está consolidado nos núcleos Ciganos, Capuava e Jardim Cipreste, onde já beneficia, direta e indiretamente, 14 mil moradores. Até a última troca (13 de setembro, no Jardim Cipreste), as famílias participantes entregaram 28,5 toneladas de recicláveis ao projeto e levaram para casa  5,7 toneladas de hortifrútis frescos. Para participar, basta o morador levar ao ponto de troca 5 kg de resíduos secos e trocar por um 1 kg de alimentos.

Alimentação e limpeza – Além de beneficiar diretamente famílias com alimentação mais saudável, combatendo a fome e a miséria, o Moeda Verde reflete positivamente na vida de toda comunidade porque reduz a quantidade de resíduos descartados pelas vias, deixando a comunidade mais limpa. Outro avanço levado pelo Moeda é a diminuição do tamanho e até mesmo a extinção completa dos pontos de descarte irregular, que frequentemente são vizinhos dos núcleos.

Foi o aconteceu nos núcleos Ciganos e Capuava, que tinham o primeiro e o segundo piores pontos irregulares na cidade. No Ciganos, o local foi transformado em estacionamento para a comunidade. No Capuava, onde o ponto ficava na avenida dos Estados, além de estacionamento, o local recebeu também uma pequena praça.

A divulgação do projeto Moeda Verde também ajuda indiretamente a mobilizar os demais moradores da cidade, que ficam mais estimulados a fazer a separação de secos e úmidos.

Este reflexo tem sido o observado pelas cooperativas de reciclagem que atuam em Santo André, que já percebem que os resíduos recolhidos pelos caminhões de coleta de secos chegam para a triagem com uma quantidade menor de rejeito.

“O que era vergonha está virando orgulho. A vergonha de ter um lugar sujo nas comunidades, com cara de abandono, vira orgulho, porque a comunidade se conscientiza, leva para casa o alimento, mas o mais importante é  conscientização e a transformação desses espaços que antes eram ponto de acúmulo de resíduos”, disse o prefeito.

Parcerias e mobilização – Para colocar o Moeda Verde nas ruas, o Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) e a Prefeitura de Santo André organizam uma estrutura baseada na parceria com diversas organizações e empresas: Banco de Alimentos, Núcleo de Inovação Social, Secretaria de Saúde, Secretaria de Cidadania e Assistência Social, Craisa (Companhia Regional de Abastecimento Integrado de Santo André), Agricultores Urbanos do Marajoara e do Capuava, Nupe (Núcleo de Projetos Especiais) de Santo André, Instituto Triângulo, Peralta Ambiental e Paranapanema S.A, além das duas cooperativas de reciclagem já parceiras do Semasa – Cidade Limpa e Coopcicla.

Para mostrar a importância do projeto aos moradores que serão beneficiados, uma equipe percorre as vias dos núcleos com antecedência, explicando os objetivos da ação. Reuniões públicas também são feitas nos bairros. Além disso, na véspera da troca, moradores cadastrados recebem SMS lembrando a realização da ação no dia seguinte.

Hotsite – Todas as informações sobre o Moeda Verde estão agora reunidas em um hotsite. Basta acessar www.semasa.sp.gov.br/moedaverde para saber os locais onde a troca já é feita, com o peso total de recicláveis entregues pela população a cada dia, agenda, fotos e notícias. O hotsite, criado e administrado pela equipe do Semasa, também pode ser visualizado através do aplicativo Semasa Mobile, disponível para o sistema Android.

Fonte: Semasa Santo André

Última modificação em Terça, 18 Setembro 2018 14:26
Mais nesta categoria:
ASSEMAE © 2019 | Todos os direitos reservados Desenvolvido por Trídia Criação