06 de Novembro, 2015

Codau entrega projeto da represa Prainha

A vazão total do reservatório será de mais de 2 bilhões de litros de água

O prefeito de Uberaba (MG), Paulo Piau, e diretores do Codau entregaram no dia 29 de outubro ao Ministério das Cidades, o projeto executivo da represa da Prainha, desenvolvido pela Leme Engenharia. Esta etapa é a última antes da efetivação da aprovação do recurso de R$ 40 milhões já obtidos do Orçamento Geral da União (OGU). Agora o rito do Ministério é encaminhar a documentação para a Caixa Econômica Federal, que por sua vez, aprova do projeto e libera a abertura da licitação da obra.

As tratativas da Prefeitura e Codau junto ao Ministério das Cidades estão em andamento desde o ano passado e discutem a utilização da verba do contrato do sistema de adução permanente do rio Claro.

O projeto executivo da Leme Engenharia contém diversos anexos com a descrição da represa, incluindo estudos técnicos sobre a barragem, o reservatório, vertedouro, caminhamento do rio, escavações, aterros, locações, memoriais de cálculos, especificações técnicas da estabilidade das estruturas, especificações mecânicas, cálculos de hidrologia, cronogramas e orçamentos entre inúmeros outros documentos. A vazão total do reservatório será de mais de 2 bilhões de litros de água e capacidade para uma demanda de 4,320 mil litros/hora. O valor previsto somente da obra, sem as desapropriações, é de R$ 33,244 milhões e o cronograma prevê 18 meses de execução.

O prefeito foi recebido em Brasília na Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental pelo gerente de projetos, Hélio José de Freitas. Pelo Codau estiveram presentes os diretores Financeiro e Comercial, Luiz Antônio Molinar Henrique, o de Desenvolvimento, Cláudio Junqueira, e equipe técnica do Departamento de Projetos.

Contrato OGU - Os recursos para construção da represa são do contrato do sistema de adução do rio Claro no valor total de R$ 62,3 milhões, o que inclui o repasse e mais a contrapartida do município. Luiz Guaritá Neto revela que já foram gastos deste contrato, R$ 6,6 milhões, investidos em obras e aquisição de material para executar a primeira fase do projeto da adutora, aproximadamente 11% do total.

"Está praticamente executada a primeira fase da adução definitiva do rio Claro, o que possibilitará o bombeamento de água para o córrego Saudade (afluente do rio Uberaba) e no próximo ano já deveremos operar o sistema definitivo", disse. O trecho compreende uma extensão de 7 km.

O presidente destacou ainda que a verba do contrato é suficiente para construir a represa. Guaritá ressaltou também que todos os recursos do OGU somente são liberados após a obra executada, medida e fiscalizada pela Caixa Econômica Federal.

Fonte: Codau

Última modificação em Sexta, 06 Novembro 2015 13:12
Mais nesta categoria:
ASSEMAE © 2019 | Todos os direitos reservados Desenvolvido por Trídia Criação