04 de Fevereiro, 2020

DAEV retira 47 toneladas de lixo/mês de ETE

Autarquia orienta a população para não destacar lixo em pias, ralos, vasos sanitários e caixas de gordura. 

O descarte irregular de lixo em pias, ralos, vasos sanitários e caixas de gordura é um dos principais responsáveis pelo entupimento da rede de esgoto, agravado pela chuva que leva o lixo jogado nas ruas para a rede e pelo lançamento clandestino e ilegal da água de chuva na rede coletora de esgoto. Trata-se de um dos maiores e mais graves problemas enfrentados pelo Departamento de Águas e Esgotos de Valinhos (DAEV), que em 2019 removeu pouco mais de 513 toneladas de lixo do gradeamento da Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) Capuava – cerca de 47 toneladas/mês, ou 1,5 tonelada/dia. Não foram considerados nesta conta o lixo removido de galerias, poços de inspeção, emissários e Estações Elevatórias de Esgotos.“São números assustadores, que impactam diretamente no tratamento de esgoto da ETE. A simples mudança de hábitos da população já seria uma grande contribuição para a qualidade de vida. Isso na ETE, mas dependendo de onde ocorre o entupimento da rede coletora, o esgoto retorna para dentro dos imóveis. É uma questão de saúde pública”, afirma o presidente do DAEV, Ricardo Gardin.

“Todo o resíduo despejado na pia, no vaso sanitário, no ralo ou qualquer outro local tem como destino a rede de esgoto. É uma prática nociva das pessoas que não pensam nos transtornos que esse comportamento causa ao saneamento da nossa cidade”, afirma o diretor de Operações do DAEV, Marcello Lino.

 A ETE Capuava, responsável por tratar e descartar todo o esgoto captado em Valinhos, possui um sistema de limpeza que bloqueia a entrada de objetos sólidos na unidade. Os materiais lançados irregularmente param no gradeamento e são removidos diversas vezes por dia, para não paralisar o tratamento.

Quando lançado na rede esgoto, os resíduos entopem e causam inúmeros problemas, que vão desde o extravasamento, ou a volta do esgoto para residências, o rompimento das tubulações, que representa prejuízo praticamente incalculável para o saneamento da cidade.

Os materiais mais encontrados nas grelhas são entulhos da construção civil (pedras, resto de cimento, madeira, plástico, papelão, sacos) e descartes de banheiro, como papel higiênico, fio dental, absorventes, cabelo, cotonetes, tecidos, sacos plásticos.

Além de lixo, o descarte irregular de resíduos de cozinha, como restos de comida e, principalmente, óleo e gordura também causam transtornos. Materiais como esses, que inicialmente podem não parecer problema, se solidificam e acabam entupindo a rede coletora, que foi projetada para receber apenas esgoto doméstico, e não lixo e água de chuva.

Educação como solução

“O DAEV pede para a população não jogar lixo nem esses materiais no vaso sanitário ou nos ralos de casa. Estamos fazendo uma campanha sobre o descarte correto de materiais. Lugar de lixo é no lixo e não na rede de esgoto. A iniciativa é uma forma simples e de baixo investimento para orientar as pessoas sobre o assunto”, afirma o presidente da Autarquia, Ricardo Gardin.

Gordura é a vilã do esgoto

A grande vilã da rede de esgoto é a gordura. O óleo de cozinha, depois que esfria, se solidifica e vai fechando a tubulação. Com o tempo e o acúmulo de gordura, o espaço para a passagem do esgoto fica cada vez menor até entupir. Instalar uma caixa de gordura previne o problema, mas é preciso limpá-la a cada seis meses.

Guarde o óleo em garrafas pet, descarte-o em postos de coleta e limpe as panelas com um guardanapo de papel antes do enxágue.

Fio dental no lixo

O fio dental, aparentemente inofensivo, pode causar verdadeiro estrago no esgoto. Lançado no vaso sanitário ou no ralo da pia, ele forma uma rede parecida com as tampinhas de creme dental e atrai outros dejetos até entupir a rede. Jogue-o no lixo e livre-se desse problema.

Cabelo, não!

Sifão da pia e ralo são como ímãs para o cabelo que se enrosca até entupir. Alguns cuidados ajudam, como usar grelhas nos ralos do banheiro e remover o acúmulo de pelos e jogá-los no lixo.

Direto no lixo

Alguns itens devem ir direto ao lixo: cotonetes, cigarros, absorventes, camisinhas e embalagens. Utilize a lixeira do banheiro para descartar esses objetos e ajude a manter o bom funcionamento da rede de saneamento.

 

Fonte: DAEV Valinhos

Última modificação em Terça, 04 Fevereiro 2020 10:32
Mais nesta categoria:
ASSEMAE © 2020 | Todos os direitos reservados Desenvolvido por Trídia Criação